RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

5 min de leitura 14 outubro. 2022

Economia compartilhada: o que é e quais são as vantagens

# G2D Investments
Economia compartilhada: o que é e quais são as vantagens

A economia compartilhada é uma tendência que, mesmo com sinais de saturação, há cada vez mais iniciativas desse tipo. Diversas empresas baseadas nesse modelo de negócio estão entre as mais prósperas do mundo. A exemplo disso, segundo a companiesmarketcap.com, o Airbnb é a 158ª empresa mais valiosa do mundo.

Mas afinal, você sabe o que é a economia compartilhada, como ela funciona e quais são os benefícios que ela oferece para os negócios e para a sociedade? Acompanhe a explicação neste post!

O que é economia compartilhada

Antes de mais nada, é importante definir o que é economia compartilhada. Trata-se de um modelo de negócio que foca no compartilhamento de recursos físicos, humanos ou intelectuais. Nele, os serviços ou os bens são divididos com outras pessoas.

O conceito de economia compartilhada abrange qualquer negócio que se baseie em consumo compartilhado em vez de uma relação de posse. Ele está muito mais ligado ao uso de um produto ou um serviço do que a uma negociação de compra ou venda.

Esse modelo parte da ideia de que há recursos limitados, que precisam ser divididos entre diversas pessoas para mais gente ter acesso e usufruir deles. Assim, é uma forma de reduzir a ociosidade e aproveitar melhor esses recursos.

É comum que, na economia compartilhada, as negociações aconteçam entre pessoas físicas. Porém, também podem ser mediadas por empresas, o que ocorre com as grandes corporações baseadas nesse modelo de negócio. Inclusive, algumas startups unicórnios baseiam-se na economia compartilhada!

As vantagens da economia compartilhada

Não são só as grandes empresas que aproveitaram essa tendência que têm a ganhar com a popularização! A economia compartilhada trouxe uma série de vantagens para a sociedade e os consumidores em geral.

Sustentabilidade

Uma das grandes vantagens da economia compartilhada é o potencial de redução do impacto ambiental causado por ação humana. Afinal, é um tipo voltado para a partilha, não para a aquisição de novos bens, promovendo um consumo consciente e mais sustentável.

Facilitação ao acesso de serviços

Outra vantagem é a democratização do acesso a serviços que, de outra maneira, seriam inviáveis para parte da população. Com a popularização da economia compartilhada, muitos consumidores tiveram acesso a bens e serviços que, antes, eram muito caros: pense nas tarifas de táxis e nas diárias de hotéis, por exemplo!

Redução de ociosidade e desperdício

Além disso, a economia compartilhada proporciona uma considerável diminuição no desperdício, uma vez que os recursos são utilizados com mais frequência e por uma quantidade maior de pessoas, o que otimiza o aproveitamento e reduz a ociosidade.

Praticidade

Por fim, não podemos deixar de mencionar a praticidade e a conveniência proporcionadas pela economia compartilhada. Os serviços não se tornaram mais acessíveis somente porque o custo diminuiu, mas também porque o acesso ficou mais fácil.

Só para dar alguns exemplos, pense em como ficou mais simples e rápido pedir uma pizza em domicílio ou até se hospedar durante uma viagem. Tudo isso tem a ver com a popularização da economia compartilhada.

Exemplos de economia compartilhada

A ideia de compartilhar recursos para aproveitar melhor o consumo não é nova. Os tradicionais brechós e bazares podem ser considerados embriões da economia compartilhada.

Avançando um pouquinho no tempo, os softwares open source também não deixam de ser exemplos de economia compartilhada, já que os códigos eram livres e compartilhados entre os programadores.

Porém, existem companhias que surfaram a onda da economia compartilhada e revolucionaram os mercados. Trata-se de empresas inovadoras e disruptivas, que enxergaram uma necessidade do mercado e criaram soluções inéditas para atender a essa demanda.

Entre alguns exemplos de economia compartilhada, estão os aplicativos de transporte particular, como Uber, as plataformas de hospedagem, como Airbnb, os apps de delivery, como iFood, além dos diversos sites de venda de objetos, móveis, roupas e livros usados na internet.

Economia compartilhada x economia colaborativa

Uma dúvida muito comum é: existe alguma diferença entre economia compartilhada e colaborativa? A resposta é sim! Embora ambos conceitos tenham origem na necessidade de atender às demandas das pessoas, eles diferem na forma como tais exigências são atendidas.

Na economia colaborativa, há uma espécie de cooperação mútua. As pessoas criam soluções que viabilizam a aquisição de determinado bem na forma de uma ação coletiva. Um bom exemplo disso é o consórcio, em que um grupo se une para levantar recursos e comprar um produto, como um carro ou um apartamento.

Já a economia compartilhada tem muito mais a ver com atividades de partilha, como o aluguel ou a troca de produtos. Trata-se de aproveitar um bem ocioso e compartilhá-lo com outros, atendendo a uma necessidade real e gerando uma fonte de renda para quem compartilha.

Invista em empresas disruptivas com a G2D

A G2D conta com várias empresas inovadoras e disruptivas no portfólio, incluindo negócios baseados na economia compartilhada. Facilitamos o acesso de pessoas físicas ao Venture Capital. Assim, você pode investir em companhias privadas de alto potencial de crescimento.

Quer incrementar sua carteira e aplicar parte de seu capital em investimentos alternativos para aumentar suas possibilidades de retorno financeiro? Conheça nosso portfólio e veja em quantas empresas revolucionárias já investimos!

#

Conteúdos sobre tecnologia, startups e investimentos em Venture Capital e ativos alternativos.