RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

5 min de leitura 20 abril. 2022

Desvende o economiquês com este miniglossário

# G2D Investments
Desvende o economiquês com este miniglossário

Investidores de primeira viagem ou que ainda não têm muita experiência costumam ficar perdidos quando começam a pesquisar sobre o mercado financeiro. Com tantos termos novos para decorar e um economiquês tão avançado para aprender, muitas dúvidas surgem.

Para ajudar os investidores iniciantes a aprender esse “idioma” tão peculiar que é o economiquês, resolvemos fazer um post diferente aqui, no blog. Neste artigo, você descobre o significado de várias palavras e expressões corriqueiras do mundo dos investimentos.

Os principais verbetes do dicionário Português-Economiquês

Selecionamos os termos mais recorrentes no mercado financeiro para você dominar. Não se preocupe: com a prática, essas expressões vão se incorporar naturalmente ao seu vocabulário! Confira as principais abaixo.

Home broker

Home broker é uma plataforma on-line que permite negociar ações e outros ativos na Bolsa de Valores de forma simples e acessível. Quem oferece acesso ao home broker são as corretoras de valores. É por meio dessa plataforma que é possível negociar na bolsa, fazendo operações de compra e venda dos papéis de sua preferência.

IPO

IPO é a sigla em inglês para Oferta Pública Inicial, referente ao processo pelo qual uma companhia abre capital e passa a ter ações negociadas na Bolsa de Valores.

Ao fazer um IPO, a empresa vende parte de suas ações para o público, enquanto os acionistas passam a ser donos de uma pequena fatia do negócio. Normalmente, a abertura de capital na Bolsa acontece quando a empresa tem grandes expectativas de crescimento.

Investimento de alto risco

Como o próprio nome já diz, investimento de alto risco é um tipo de investimento que não traz garantias de rentabilidade, portanto, é considerado arriscado para o investidor.

Os investimentos de alto risco não permitem uma previsão acurada da margem de lucro e podem resultar em perda financeira caso a estratégia de investimento falhe. Por isso, são aplicações mais indicadas para investidores experientes e de perfil arrojado.

Carteira de investimento

A carteira de investimento refere-se ao conjunto de ativos financeiros em que o investidor aplica dinheiro. Entre essas aplicações, recomenda-se a combinação de ativos de renda fixa, como títulos do Tesouro Direto, e renda variável, como as ações.

Essa orientação tem um motivo simples: um portfólio de investimentos bem diversificado e equilibrado evita a concentração dos recursos em uma só aplicação, protege o capital e aumenta o potencial de ganhos financeiros.

Fundos quantitativos

Fundos quantitativos são um tipo de investimento em que as decisões são tomadas com base em análises realizadas por algoritmos, que levam em conta os padrões apresentados pelos ativos, utilizando a inteligência artificial e o machine learning para fazer as previsões.

Assim, a gestão é feita pela tecnologia, usando dados e padrões de comportamento de ativos para definir onde o capital será investido. Em geral, essa estratégia é adotada para operar fundos de ações ou fundos multimercado.

Criptoativos

Os criptoativos são ativos intangíveis que têm apenas uma representação digital. Tratam-se de valores negociados em um meio virtual. Os criptos mais populares no mercado são as criptomoedas, como é o caso do famoso Bitcoin.

As transações de criptoativos são realizadas em plataformas digitais ou bilateralmente. A propriedade é verificada mediante à inserção de uma senha. Vale lembrar que os negociantes são anônimos: em vez de usar nomes, compradores e vendedores se conectam por meio de chaves de criptografia.

Atualmente, os criptoativos são os verbetes do economiquês que mais causam burburinho. Afinal, trata-se de ativos com grande potencial de lucro. Porém, atenção: o investimento em criptoativos é considerado de alto risco, portanto, deve ser balanceado com outras aplicações mais seguras.

Valuation

Valuation é o processo que permite estimar o valor real de uma empresa, levando em conta fatores como as premissas da companhia e o retorno financeiro que o negócio pode trazer em um período determinado.

Trata-se de um dado importantíssimo para o investidor decidir se vai ou não investir na companhia, já que, a partir de tal valor, será possível obter várias informações sobre o negócio e fazer uma previsão do crescimento da empresa a longo prazo.

É possível calcular o valuation de uma empresa de várias maneiras, como, por exemplo, por meio da renda, do mercado ou dos ativos da companhia. Ainda há a possibilidade de estimar o valuation antes que a empresa receba aportes financeiros: trata-se do valuation pré-investimento!

Venture capital

Venture capital, também chamado de capital de risco, é um tipo de investimento voltado para empresas de porte médio com grandes chances de crescimento, mas que ainda apresentam um faturamento baixo por serem novas no mercado.

O foco do venture capital são os novos negócios com muito potencial de inovação, mas que ainda não estão totalmente consolidados, por isso, oferecem mais riscos aos investidores.

Trata-se de um investimento realizado por meio da aquisição de participação societária na empresa (que, normalmente, é uma startup), com o objetivo de lucrar com a valorização no futuro.

Invista em venture capital com a G2D

Agora que você já está por dentro dos principais termos do dialeto economiquês e aprendeu o que são investimentos em venture capital, que tal começar a investir com a G2D?

Somos uma empresa listada na Bolsa e possibilitamos que qualquer investidor seja um acionista. Quer saber mais sobre o assunto? Visite o nosso site e entenda como viabilizamos o investimento em venture capital!

#

Conteúdos sobre tecnologia, startups e investimentos em Venture Capital e ativos alternativos.