RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

6 min de leitura 25 novembro. 2021

Foodtechs: as startups que estão mudando a sua relação com a comida

# G2D Investments
Foodtechs: as startups que estão mudando a sua relação com a comida

Uma das principais missões de uma foodtech é usar a tecnologia para facilitar o acesso à comida. Esse segmento já tem nomes gigantes no mercado, como iFood, Rappi, Impossible Foods, Beyond Meat e NotCo, sendo essa última uma startup unicórnio. 

A inovação vai desde a forma de consumir (pensando nos aplicativos de delivery, por exemplo) até a própria composição dos alimentos. Já existem, por exemplo, hambúrguer, leite e maionese feitos com ingredientes vegetais, chamados de plant-based. 

Conheça mais sobre o cenário desses negócios disruptivos no Brasil e no mundo.

O que é foodtech? 

Foodtech é um tipo de startup que usa a tecnologia para oferecer produtos ou serviços ligados à alimentação. A palavra vem do inglês e significa comida e tecnologia. O termo techfood também pode aparecer nesse contexto. 

Uma foodtech pode atuar em: 

  • entrega de comida (delivery); 
  • produção de alimentos; 
  • embalagem e armazenamento; 
  • reciclagem. 

As foodtechs estão em franca expansão no Brasil e no mundo. Uma projeção da consultoria Emergen Research divulgada no início de 2021 diz que o tamanho desse mercado no mundo deve atingir quase US$ 350 bilhões em 2027. Em 2019, ele era de US$ 220 bilhões. 

O uso da tecnologia para processar e entregar alimentos deve impulsionar esse crescimento, além da demanda dos consumidores por produtos mais saudáveis e mais baratos, conforme diz o relatório da consultoria.

Tipos de foodtech 

O surgimento das foodtechs está ligado à necessidade de mais eficiência na distribuição de alimentos e à maior demanda das pessoas por alimentação saudável. O impacto ambiental dos resíduos também é outra preocupação. 

Esse cenário faz a indústria repensar toda a cadeia de produção dos alimentos, que é o grande desafio das startups desse segmento. Assim, o grande desafio das foodtechs é propor inovações para toda a cadeia produtiva de alimentos. Veja a seguir os principais tipos de negócios nesse segmento:

  • gestão financeira e de processos: endereçam diferentes problemas relacionados à gestão financeira de empresas de alimentos. Elas podem atuar na área financeira, oferecendo soluções em pagamentos, ou na gestão de pedidos, automatizando o atendimento. Também atuam em processos internos, como análise de dados e prevenção à fraudes, por exemplo;
  • produção de alimentos e bebidas: procurando atender novos hábitos de consumo, esse tipo de foodtech desenvolve alimentos e bebidas voltadas para o consumo consciente ou para necessidades específicas de alimentação;
  • logística: empresas que resolvem problemas relacionados ao processo de distribuição de insumos ou produtos finais de alimentação;
  • promoção do varejo: foodtechs que visam aumentar as vendas. Atuam na promoção de produtos e serviços do segmento varejista e alimentar;
  • marketplace de alimentos e delivery: startups que desenvolvem soluções para a compra e venda de alimentos, conectando clientes e lojistas;
  • tecnologias para a produção de alimentos: essas foodtechs focam em biotecnologia, pesquisa e desenvolvimento para atender à indústria de alimentos. Oferecem soluções que vão desde a produção até a reciclagem.
  • alimentos congelados: para proporcionar conveniência ao consumidor, esse tipo de foodtech disponibiliza alimentos ou refeições congeladas para fazer em casa ou no trabalho.

Principais foodtechs no Brasil 

O Brasil lidera o setor de foodtechs na América Latina. Segundo a Startup Scanner, existem 470 foodtechs no mercado brasileiro. Veja a seguir algumas das principais foodtechs no Brasil:    

Liv Up 

É um aplicativo de entrega de refeições saudáveis, congeladas ou prontas. A foodtech prepara 500 mil pratos mensalmente e passou da marca de R$ 100 milhões em faturamento. A empresa também possui um programa de logística reversa para reciclar suas embalagens. 

iFood 

Bem conhecida pelos brasileiros, o iFood é uma foodtech que surgiu no mercado em 2011. Hoje, é uma empresa de tecnologia em alimentação referência na América Latina.  Segundo dados da Food Consulting, houve um crescimento de 250% na demanda por entrega de refeições durante a pandemia. O aplicativo foi uma das empresas beneficiadas por essa mudança nos hábitos alimentares dos brasileiros. 

Fazenda Futuro  

Uma startup de comida que usa ingredientes à base de plantas para desenvolver alimentos iguais à carne animal. Em 2020, entrou para a lista World Changing Ideas, criada pela revista americana Fast Company. Criada em 2019, o crescimento da Fazenda Futuro foi rápido. Hoje, ela vale mais de R$ 2 bilhões e atua em 25 países. 

Principais foodtechs no mundo 

China e Índia são terrenos férteis para o crescimento de foodtechs. Os Estados Unidos são casa para um terço dos unicórnios em foodtech. Listamos algumas das principais foodtechs no mundo. Confira:  

The Every Company  

Dos EUA, a The EVERY Company é uma foodtech de biotecnologia que desenvolve proteína. O diferencial está em como ela faz isso: usando fermento para converter açúcar em proteínas semelhantes às encontradas nas de origem animal. 

Impossible Foods

Startup que desenvolve produtos plant-based para substituir a carne. Fundada em 2011, a empresa da Califórnia lançou o Impossible Burger em 2016, em parceria com o Burger King.

Swiggy  

É a maior plataforma online de pedidos e entregas de comida da Índia. Fundada em 2014, a Swiggy possui parceria com o Burger King para fornecer serviços de entrega.  

Beyond Meat  

Uma das gigantes de produção de carne à base de vegetais, a Beyond Meat foi fundada em 2009 nos Estados Unidos. A empresa oferece carnes bovina, suína e de aves – porém, de origem vegetal. Já está disponível nos mercados brasileiros.  

NotCo 

Sediada no Chile, a NotCo ou NotCompany é uma das maiores do setor de comidas veganas. Tem entre seus produtos: maionese, queijo e iogurte veganos. Foi fundada em 2015 e tem Jezz Bezos, CEO da Amazon, entre seus investidores. A NotCo faz parte do Portfólio G2D e está na lista de startups unicórnio da América Latina. 

Yi jiu pi 

A chinesa Yi jiu pi é uma plataforma online para comércio B2B (business to business) de vinho e outras bebidas. A foodtech oferece informações e consulta sobre produtos. Através da plataforma, negocia a compra de produtos para lojas de conveniência e varejistas.   

Agora que você conhece um pouco melhor o universo das foodtechs, que tal ficar por dentro das últimas novidades do mundo das startups e do Venture Capital. Assine a nossa newsletter e receba o nosso conteúdo diretamente em seu e-mail.

#

Conteúdos sobre tecnologia, startups e investimentos em Venture Capital e ativos alternativos.