RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

5 min de leitura 06 maio. 2022

Fundo multimercado: o que você precisa saber para investir

# G2D Investments
Fundo multimercado: o que você precisa saber para investir

Entre os tipos de fundos de investimento disponíveis, o fundo multimercado é um dos mais conhecidos. Você já ouviu falar dessa opção? Se você já começou a sua jornada de investidor, é importante aprender sobre este assunto. 

O produto multimercado é uma das principais categorias da indústria. Em geral, ele oferece flexibilidade, com risco moderado. Para quem tem interesse em montar uma carteira diversificada, essa é uma alternativa a se considerar. Continue a leitura para entender mais. 

O que é um fundo multimercado? 

Antes de conhecer o que é um fundo de investimento multimercado, é preciso entender o funcionamento dos fundos. São administrados por uma instituição gestora, responsável por  montar uma estratégia a partir de um determinado mercado. 

Logo, para investir em um fundo, não é preciso gastar tempo para administrá-lo — essa tarefa cabe ao gestor. Os multimercados correspondem a uma das classes de fundos. A principal característica deles é possuir vários fatores de risco, podendo incluir papéis de renda fixa e renda variável. 

Segundo reportado pelo jornal Estadão, entre o leque de fundos, o produto multimercado soma mais de R$ 1,5 bilhão em patrimônio líquido. O montante representa 21,9% de toda a indústria, ficando atrás somente da renda fixa, que tem 38,4%.  

Como um fundo multimercado funciona? 

O fundo multimercado é classificado em três subcategorias: alocação, estratégias e investimento no exterior. Cada uma possui grau de risco, o que afeta diretamente a estratégia de cada fundo e cotista. 

A modalidade de alocação é dividida em fundos balanceados e dinâmicos. Em geral, o retorno dessa aplicação é de longo prazo. Já a subcategoria de estratégias possui várias divisões, podendo ser de multimercado macro, juros e moedas, trading, long and short, entre outros. 

Nesse sentido, não há compromisso de concentrar a maior proporção do fundo em um ou outro ativo. A organização gestora tem toda liberdade de decisão para acessar diferentes classes de ativos. Assim, não há interferência do cotista na composição do portfólio. 

O cliente que investe em um fundo multimercado deve compreender a possibilidade de ter tanto aplicações de alto risco quanto mais conservadoras. Como vantagem, pode contar com gestores capacitados e proativos, com a diversidade de investimentos, alternativas de liquidez e rentabilidade superior ao CDI. No entanto, é importante lembrar que nenhum tipo de investimento pode garantir retorno.

Rentabilidade, taxas e resgates

Em geral, um fundo multimercado mais conservador busca superar a taxa do CDI. Por outro lado, geralmente, um fundo considerado arrojado foca em superar o Índice Bovespa. No final, o objetivo é garantir que a oscilação seja favorável ao cotista. 

Em contrapartida à expertise de gestão do fundo, costuma ser cobrada uma taxa de administração e performance. Além disso, há tributação de Imposto sobre Operações Financeiras e Imposto de Renda, podendo variar entre os fundos. 

Outra informação importante é a respeito da data de cotização. Trata-se da quantidade de tempo que a gestão de um fundo leva para converter as cotas em dinheiro após a solicitação de saque. Também há a data de liquidação, isto é, o tempo necessário para transferir o dinheiro para o investidor. 

Para qual investidor é mais indicado? 

Os fundos multimercados são flexíveis e podem atender a uma gama de diferentes perfis. Afinal, é possível realizar aplicações mais conservadoras ou mais arriscadas, conforme a gestão escolhida. O gestor dos investimentos monta uma carteira de acordo com o perfil do cliente para aproveitar o melhor da indústria de multimercados. 

Além disso, ao escolher os melhores fundos multimercado, o investidor não pode examinar somente o histórico recente de desempenho. É necessário analisar a trajetória a longo prazo, assim como a tradição e a performance da casa com volatilidade. Afinal, a rentabilidade passada não garante rentabilidade no futuro. 

Então, investir em fundo multimercado vale a pena? Um cenário de juros altos pode impulsionar investidores mais avessos ao risco a desembarcar do multimercados. Por outro lado, esse produto costuma atrair mais investidores quando os juros das aplicações em renda fixa caem. 

Em suma, esse produto costuma ser indicado para investidores que gostam de alocar capital em mais de um ativo. Sendo assim, aplique em multimercados se você busca uma carteira mais sofisticada e diversificada. 

Continue aprendendo com a G2D

Quanto mais você estudar sobre o mercado financeiro, melhor serão as escolhas para a sua carteira. É fundamental pesquisar sobre o tipo de operação que combina com seu perfil e seus objetivos financeiros. Por isso, continue aprendendo com a G2D. 

A G2D Investments é uma companhia que permite que qualquer pessoa invista em negócios no estágio pré-IPO. Nosso portfólio é composto por empresas disruptivas e altamente tecnológicas do Brasil, dos Estados Unidos e de países da Europa. 

Com a nossa newsletter, você tem acesso a informações de especialistas e conhece alternativas como o fundo multimercado para ampliar as estratégias do seu portfólio. Inscreva-se e receba as próximas edições na caixa de entrada do seu e-mail.

#

Conteúdos sobre tecnologia, startups e investimentos em Venture Capital e ativos alternativos.