RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

5 min de leitura 26 agosto. 2021

Inovação disruptiva: o que é e qual a sua importância

# G2D Investiments
Inovação disruptiva: o que é e qual a sua importância

A inovação disruptiva é um um conceito que consiste em uma ação ou ideia que pode transformar um setor ou mercado. Ou seja, quebrando padrões já estabelecidos em um segmento de mercado.

Startups que contam com esse conceito ganham destaque quando o assunto é investimento de Venture Capital (VC), uma vez que as suas expectativas de crescimento são altas. Isso acontece porque, com uma ideia disruptiva, o negócio tende a assumir um papel de precursor no segmento em questão

A seguir, explicaremos com mais detalhes sobre por que investir em empresas privadas com alto crescimento e tecnologia é interessante para quem quer aproveitar os lucros do Venture Capital. Confira.

 

Na prática, o que é inovação disruptiva?

O conceito de inovação disruptiva pode ser aplicado em diversos segmentos, desde que preserve o conceito de trazer mudanças que “rompa” com tradições. As plataformas de streaming — serviços que possibilitam a transmissão de conteúdos pela internet — é um dos exemplos que ajuda a entender, já que revolucionou um segmento que estava estagnado, ou seja, o cinematográfico.

Então, a premissa para entender o que é a inovação disruptiva é encontrar algo que mude os modelos tradicionais de negócio. Mesmo que pareça um conceito simples, achar empreendimentos que tenham essa característica é uma oportunidade promissora de investimento.

 

Entenda a diferença entre inovação disruptiva e a radical

Quando o tema é disrupção, é comum haver dúvidas sobre outro termo: a inovação radical. Afinal eles possuem ideias semelhantes, mas são duas modalidades diferentes. 

Enquanto a inovação disruptiva “quebra” conceitos, a radical propõe ideias alternativas aos processos já existentes. Assim, se os streamings são considerados uma inovação disruptiva, a radical são os planos de assinatura que oferecem o acesso antecipado aos filmes que serão exibidos.

 

E incremental?

Outra diferença que vale mencionar é entre a inovação incremental e disruptiva. Enquanto o primeiro consiste em implementar melhorias em atividades existentes, o segundo parte do pressuposto de criar soluções que renovem o modo como um segmento do mercado age.

Seguindo o exemplo das plataformas de streaming, um exemplo de inovação incremental são as ferramentas de download, que permite a visualização on-line dos filmes e séries listadas.

 

Quais são os principais elementos da disrupção?

Mesmo entendendo as diferenças entre inovação incremental, radical e disruptiva, o conceito abrange três elementos importantes, essenciais para identificar esse tipo de negócio: acessibilidade, conveniência e simplicidade. Entenda mais a seguir.

 

Acessibilidade

Uma das características mais marcantes da inovação disruptiva é a acessibilidade das soluções propostas, ou seja, desde o preço até o número de consumidores que ela é capaz de alcançar.

Afinal, se a inovação ficar restrita a um grupo pequeno de pessoas, ela não vai cumprir o objetivo de romper com costumes e processos já consolidados no segmento.

 

Conveniência

A conveniência é outro fator importante para que, em um negócio, sejam implementadas a disrupção e a inovação. Isso porque esses empreendimentos precisam, de maneira efetiva, propor soluções aos problemas dos consumidores.

Isso quer dizer que a marca deve promover o bem-estar. Como exemplo, podemos destacar a TomboyX — presente no portfólio da G2D —, um negócio que inovou ao propor uma linha de roupas íntimas para corpos de mulheres e homens reais, ou seja, que saia do padrão do corpo magro utilizado por grandes marcas. 

 

Simplicidade

O que torna uma empresa disruptiva também é a simplicidade da ideia. Isso porque, quando falamos em quebrar paradigmas e costumes, não é uma tarefa fácil, afinal é algo com que não estamos acostumados. Porém, quando a proposta é tornar a vida mais simples e prática, as chances de aceitação são maiores.

 

Qual é o impacto da inovação disruptiva no mercado?

Trazer novas ideias e soluções para o mercado é um meio de reformular os processos e atividades, e consequentemente melhorar a oferta para os consumidores. Afinal, a inovação disruptiva é um modo de atender às suas necessidades.

Inclusive, esse é um movimento que revolucionou diversos segmentos da economia que estavam se tornando obsoletos, atraindo a atenção dos consumidores e investidores.

Dessa forma, é possível chegar a conclusão de que a inovação disruptiva é um meio de moldar o mercado atual e o futuro, já que ela propõe uma quebra de padrões que podem estar impedindo o crescimento e a evolução de um determinado segmento.

 

Empresas disruptivas: vantagens para o investidor

Investir em empresas disruptivas é um conceito que chama a atenção dos investidores, afinal esses são empreendimentos que prometem revolucionar o mercado, e crescer com eles é uma ideia interessante.

A G2D, por exemplo, é uma empresa dedicada a encontrar a inovação disruptiva no mercado para investir em negócios privados com alto crescimento e um perfil de risco e retorno maior que as startups tradicionais.

 

Fique atento às novidades do mercado com a G2D

A G2D é uma empresa de Venture Capital, que investe em inovação e já conta com um portfólio com diversas empresas de grande prestígio no mercado. Ou seja, ela investe em tecnologias sem fronteiras.

Assim, se você quer investir como um dos maiores alocadores do mundo, conte com a nossa expertise. Assine a nossa newsletter e fique atento a todas as novidades do mercado.

#

O que é a G2D investimentos

A G2D é uma plataforma global de investimentos em empreendimentos promissores quando o assunto é tecnologia disruptiva e crescimento acelerado. Está listada na B3 como (G2DI33)