RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

5 min de leitura 17 março. 2022

Quando vale a pena investir em mercados emergentes?

# G2D Investments
Quando vale a pena investir em mercados emergentes?

As ações de empresas de países em desenvolvimento são em torno de 40% mais baratas do que os papéis do mesmo setor nos Estados Unidos e na Europa. Além disso, o efeito do câmbio e o potencial de crescimento desses negócios também pode ser uma vantagem. Pensando nisso, vale a pena diversificar investimentos em mercados emergentes além do Brasil?

A partir de agora, vamos entender melhor o significado de mercados emergentes, quais países se encaixam nessa definição e alguns exemplos de oportunidades para investir em ações além do Brasil.

Nas duas últimas décadas, as ações de empresas norte-americanas superam as de mercados emergentes. No entanto, se olharmos mais de perto, esse desempenho é impulsionado especialmente pelas grandes empresas de tecnologia, as big techs.

No caso dos emergentes, a China vem despontando como centro de inovação e tem um mercado interno forte. Se olharmos para empresas de consumo e tecnologia, como Alibaba, Tencent e ByteDance, a dona do TikTok, já fica claro que o crescimento meteórico dessas empresas nos últimos anos representa boas oportunidades de investimento. Quer conhecer mais? Continue conosco!

O que são mercados emergentes?

Mercados emergentes é uma expressão usada para agrupar países que não têm mercados desenvolvidos, mas que apresentam boas oportunidades de investimento. Essas nações também são chamadas de economias emergentes.

Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul são as cinco nações mais reconhecidas como países da categoria. Além disso, elas compõem o BRICS (a sigla para de seus nomes). Atualmente, a China representa 42% dos mercados emergentes por capitalização de ações.

Juntamente com o BRICS, países como o Paquistão, a Arábia Saudita, o México, a Turquia e a Nigéria também integram a lista de mercados emergentes. Em comum, eles têm as seguintes características:

  • forte mercado consumidor;
  • empresas com alto potencial de crescimento;
  • população de renda mais baixa;
  • mercados financeiros mais voláteis;
  • economia fortemente ligada a produtos primários, como itens agrícolas.

Ao contrário dos mercados desenvolvidos, os emergentes podem trazer retornos maiores para quem consegue fazer uma boa seleção de ativos para investir.

Setores como o de tecnologia, por exemplo, são promissores por sanarem problemas ligados à eficiência, produtividade e acesso a produtos e serviços, algo que pode trazer ganhos rápidos para as empresas que investem nesse segmento em economias emergentes.

ETFs de mercados emergentes: conheça os principais

Uma das formas mais práticas de investir em mercados emergentes é por meio dos ETFs, os Exchange Traded Funds, que são fundos negociados nas bolsas de valores.

Como é típico de investimentos com alto potencial de retorno, essas ações também resultam em maior risco e volatilidade. Mas é possível reduzir o risco através da diversificação com ETFs.

Assim, o investidor tem exposição à aplicação, ao mesmo tempo que evita concentrar o risco em poucas empresas e o esforço adicional de pesquisar papéis de forma individual. A seguir, veja os principais:

EEM

O ETF internacional iShares MSCI Emerging Markets (EEM) é um dos mais populares do mundo e um dos produtos mais antigos do mercado. Ele oferece acesso fácil a mais de 800 ações de empresas de países como Brasil, China, Coreia do Sul, Emirados Árabes, Indonésia, México, Qatar, Taiwan, entre outros. É possível adotá-lo para diversificação internacional com foco no longo prazo.

EMEG11

Negociado no Brasil, o Trend ETF MSCI Mercados Emergentes ou EMEG11 é composto por ações de mais de 1 mil empresas. Seu valor de mercado supera US$ 140 bilhões. Nele, é possível encontrar empresas de países como: Argentina, Brasil, Chile, Peru, Arábia Saudita, Colômbia, México, Índia, Egito, Grécia, Turquia, Polônia, entre outros.

ESGE11

Seguindo o exemplo dos fundos ESG, o Trend ETF MSCI Emerging Markets ESG FDI (ESGE11) foi lançado em 2021 na bolsa de valores brasileira. Ele é composto por empresas comprometidas com sustentabilidade e que estão listadas nas bolsas de valores em mercados emergentes.

O vídeo a seguir, de um canal de Portugal, fala sobre outros ETFs internacionais que oferecem boas oportunidades de investimento.

Como a G2D te ajuda a investir em mercados emergentes?

A G2D Investments (G2DI33) é uma empresa de Venture Capital listada na bolsa de valores. Por isso, qualquer pessoa consegue investir nessa categoria sem precisar de muito dinheiro.

Em nosso portfólio, temos empresas disruptivas de alto crescimento no Brasil e América Latina, além de Estados Unidos e Europa. Por serem empresas privadas, elas não têm ações na bolsa de valores. Mas com a G2D, é possível investir nessas companhias sem ter muito trabalho e aproveitar a sua fase de crescimento mais acelerado.

Agora que você conhece mais sobre as oportunidades que os mercados emergentes oferecem, que tal conhecer mais sobre a G2D? Em nosso portfólio, temos companhias como Mercado Bitcoin, CERC, Blu, Quero Educação, Notco e Moss Earth. Conheça mais sobre os investimentos da G2D.

#

Conteúdos sobre tecnologia, startups e investimentos em Venture Capital e ativos alternativos.