RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

5 min de leitura 12 novembro. 2021

Modelos de negócios disruptivos: sua ideia valendo milhões

# G2D Investments
Modelos de negócios disruptivos: sua ideia valendo milhões

Vivemos em uma era em que há tantas novidades e ideias incríveis surgindo a todo momento que parece que nada mais pode nos surpreender. Inclusive, esse é um dos principais desafios daqueles que buscam por modelos de negócios disruptivos: algo inédito e que conquiste o público — além dos investidores.

Entretanto, as boas ideias não dependem apenas de tecnologia e produtos altamente elaborados. Muitas vezes, algo simples e que impacta positivamente a rotina das pessoas pode se tornar uma inovação disruptiva e incremental

De acordo com Clayton Christensen, que foi professor de Harvard e referência no tema, a inovação disruptiva representa “produtos e serviços mais acessíveis e baratos, disponíveis para grande parte da população”.

Sendo assim, como criar modelos de negócios inéditos e com alto potencial de crescimento? Não existe uma fórmula mágica para isso, mas há algumas dicas que podem ajudar você a dar os primeiros passos, fazendo com que sua ideia se torne algo rentável e de muito sucesso.

Como construir um modelo de negócio disruptivo

Levando em consideração o cenário atual, há quem acredite que a única forma de ter uma empresa que sobreviva à concorrência é basear-se nos modelos de negócios disruptivos e inovadores. 

No entanto, isso não é um fato, já há muitos outros pontos que influenciam o sucesso de uma empresa. Porém, é inegável que os negócios disruptivos têm um grande potencial de crescimento, uma vez que são ideias inéditas e que atingem, de alguma forma, o estilo de vida de muitas pessoas. 

Além disso, as ideias disruptivas são altamente rentáveis porque atraem os investidores e chamam a atenção do público, fazendo com que ele passe a consumir um produto. Com isso, você tem ainda mais chances de crescer e inovar com o seu negócio. 

Para pensar na criação de modelos de negócios disruptivos, os seguintes pontos devem ser considerados. 

1 – Entender a diferença entre disrupção e inovação

Mesmo sendo um assunto em alta, é comum que algumas pessoas não saibam exatamente o que é um negócio disruptivo, confundindo-o com algo inovador. Ainda assim, o primeiro consiste em uma ideia completamente nova, ou seja, inédita. Quando foi criado, o computador era uma ideia disruptiva, por exemplo. 

Já a inovação representa algo que já existe, mas pode ser melhorado, sem necessariamente causar um grande impacto na vida das pessoas. Um exemplo disso é o notebook: o computador (que foi disruptivo) adaptado para diferentes necessidades — uma ideia já existente que foi adaptada para uma rotina mais prática.

Sendo assim, o primeiro passo para pensar em modelos de negócios disruptivos é ter esses dois conceitos bem definidos na sua mente. Dessa forma, você amplia seus horizontes e consegue pensar “fora da caixa”.

2- Disruptivo não significa complexo

Como mencionado anteriormente, Clayton Christensen define “disrupção” como uma ideia que atende à sociedade de forma acessível: desde os valores até a execução do serviço ou a utilização do produto. Por isso, uma inovação disruptiva deve ser prática e simples. 

Um exemplo é a marca americana Dropps, que oferece cápsulas biodegradáveis de detergente de para máquina de lavar roupas, sem os consumidores precisarem retirar o produto da embalagem. 

Além de facilitar o processo de lavagem de roupas, o item gera economia, visto que a pessoa não gastará o produto além do necessário para higienizar as peças, adquirindo o Dropps por um valor acessível. 

O produto também colabora com o impacto ambiental: economiza água, já que não produz mais sabão que o necessário, diminuindo a quantidade de enxágue das roupas e a emissão de CO2, pois não utiliza plástico e demais químicos prejudiciais para o meio ambiente. 

3- Baixo custo de operação

Os modelos de negócios disruptivos têm uma estrutura em que a margem de custo, processo e distribuição é baixa, enquanto a rotação de ativos é mais alta. Baratear o custo da operação faz com que o serviço/produto se torne mais acessível. 

Essa também é uma forma de se destacar entre os concorrentes, especialmente se eles já estiverem no segmento de atuação a um tempo considerável. 

Negócios disruptivos e investidores

Os modelos de negócios disruptivos chamam a atenção não apenas dos consumidores, mas de investidores de Venture Capital. Com esse tipo de aporte financeiro, é possível acelerar o crescimento da empresa, expandindo suas operações e gama de produtos, com expectativa de virarem líderes em seus segmentos. 

A G2D é um exemplo de plataforma global que aposta em empresas disruptivas. Buscamos unir uma ideia inovadora e com alto potencial de crescimento à oportunidade de maior visibilidade, em um portfólio que reúne outros grandes negócios que buscam disrupção tecnológica e crescimento acelerado. 

Para conferir alguns exemplos de negócios disruptivos e conhecer as empresas em que a G2D acredita no potencial de crescimento e sucesso, confira nosso portfólio, em nosso site. 

Clicando aqui, você conhece não apenas os negócios disruptivos em que acreditamos, como também os resultados obtidos até então pelas companhias.

Confira nossos outros conteúdos

Agora que você entende melhor os modelos de negócios disruptivos, conceito e principais características dessas empresas, confira nossos outros conteúdos e leia ainda mais informações sobre esse universo. 

Para receber os conteúdos em primeira mão e não perder nenhuma novidade, assine nossa newsletter.  

#

Conteúdos sobre tecnologia, startups e investimentos em Venture Capital e ativos alternativos.