RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

7 min de leitura 19 maio. 2022

Como a queda no mercado tech afeta o Venture Capital?

# G2D Investments
Como a queda no mercado tech afeta o Venture Capital?

Desde janeiro de 2022, as ações da Netflix caíram 70%, as do Spotify recuaram 57% e as da Amazon cederam 37%. Esses são alguns exemplos da queda no mercado tech, que está atingindo empresas desse segmento em todo o mundo. Mas como será que isso afeta empresas no mercado privado?

Algumas análises dão conta de que a correção nos ativos de tecnologia também chegaria a empresas privadas, ajustando o valuation de startups. Esse é o assunto que vamos explorar a partir de agora.

Queda no mercado tech: o que aconteceu com as empresas privadas em 2021?

Para entender o que está acontecendo hoje no mercado privado de empresas de tecnologia, primeiro precisamos dar um passo atrás.

O ano de 2021 foi fora da média para o mercado global de Venture Capital. No mundo, mais de US$ 600 bilhões foram investidos em startups, sendo 21%  em fintechs, o que levou à criação de mais de 500 novos unicórnios no mundo.

Segundo a CB Insights, o mundo atingiu a marca de 1 mil unicórnios no início de 2022, o que significa que a maior parte deles alcançou o valuation de 1 bilhão de dólares no ano passado.

Outro ponto de destaque é o valuation dos SPACs feitos no ano passado: o valor mais que dobrou, atingindo US$ 1,6 bilhão.

Investimento em Venture Capital até 2021

Mesmo após a pandemia, a classe de ativos de Venture Capital se mostrou resiliente.
Fonte: Silicon Valley Bank

2022: é hora de voltar para a média

No primeiro trimestre de 2022, o financiamento global para startups atingiu US$ 143,9 bilhões. Foi o quarto maior trimestre em financiamento da história, com valor 7% maior do que o mesmo período do ano anterior.

No entanto, esse valor também representa uma queda de 19% em comparação com o último trimestre de 2021, um movimento que sinaliza a volta para a média.

De janeiro a março de 2022, 113 empresas alcançaram o status de unicórnio, um número levemente menor do que as 115 vistas no mesmo período de 2021. Porém, a cifra é a menor dos últimos cinco trimestres.

>>> Veja mais: Confira mais dados sobre o cenário de Venture Capital no mundo

As fintechs mantiveram a sua proporção em atração de investimentos: 1 a cada 5 dólares em financiamento foram destinados a essas companhias nos primeiros três meses de 2022.

Ao mesmo tempo, o número de companhias que migraram para o setor público via IPO ou SPAC caiu 45% em comparação com o quatro trimestre de 2021, enquanto a atividade de fusões e aquisições (M&As) se manteve elevada, com 2.983 deals no total.

Venture Capital movimenta a economia global, mas ainda é um mercado pequeno

O Venture Capital é uma das forças que movem a economia, apesar de ainda ter um volume pequeno quando se fala em classes de ativos em nível global.

A ideia de que há um excesso de investimentos em ativos de Venture Capital baseia-se no fato de que o volume de capital destinado a essa classe aumentou fortemente nos últimos anos.

Porém, o volume só parece excessivo se levarmos em consideração o passado. Além disso, a quantidade investida em VC ainda é bem inferior ao investido em ações ou dívidas. Veja mais no primeiro comentário.

Tamanho do mercado de Venture Capital no mundo
O mercado global de Venture Capital é pequeno comparado ao de ações e de dívida.
Fonte: Cambridge Associates

Companhias que receberam recursos de Venture Capital e Private Equity representam 44% das empresas listadas hoje na Nasdaq e correspondem a 60% de todo o Market Cap do índice, corroborando a relevância que essa modalidade de investimento tem no mercado.

Ou seja: o Venture Capital é extremamente relevante para financiar as empresas líderes do futuro, especialmente no setor de tecnologia.

Venture Capital na bolsa de valores

¹Considerando empresas fundadas após 1968 e listadas após 1978.
Fonte: SSRN

Justamente por ajudar a construir as companhias do futuro, o Venture Capital é uma classe de ativos para quem tem visão de longo prazo.

Os investidores que tiveram essa visão e conseguiram acessar essa classe de ativos nas últimas décadas, conseguiram de maneira consistente ter resultados muito acima dos obtidos nos mercados públicos, os mercados de bolsa.

Retorno do investimento em Venture Capital

Retorno do investimento em Venture Capital em relação ao investimento na bolsa.
Fonte: Cambridge Associates

Explicando de outra forma: se você conseguisse ter acesso aos 50% dos melhores fundos de Venture Capital, em 20 anos, você teria um retorno muito superior ao mercado de bolsa. Por isso, é uma classse de ativos que performa muito bem no longo prazo.

Por conta disso, essa classse de ativos tem crescido de maneira muito robusta.

Em 2010, nos EUA, foram investidos US$ 32 bilhões em Venture Capital e esse montante cresceu de maneira consistente nos últimos anos, atingindo US$ 250 bilhões no terceiro trimestre de 2021.

O poder de fogo de novos fundos

O dinheiro novo investido em fundos que estão começando também é um ponto de destaque para mostrar que esse mercado vai continuar aquecido.

Nos Estados Unidos, no ano passado, 771 fundos levantaram US$ 131 bilhões, totalizando um estoque global de US$ 900 bilhões para investir em empresas de alto crescimento.

Por isso, os valuations de companhias privadas de tecnologia podem mudar, mas não faltará dinheiro para investir nessas empresas.

Há quem se pergunte se existe excesso de dinheiro em Venture Capital. Porém, essa ainda é uma classe de ativos muito pequena quando comparada com o tamanho do mercado global de bolsa e ainda menor que o mercado global de dívida.

Como se ganha dinheiro em Venture Capital?

Uma dúvida que muitas pessoas têm ao investir em Venture Capital é como se dá a valorização dos ativos nesse mercado.

Quando fundos investem em companhias privadas, elas valorizam e passam a ter mais recursos para executar seus projetos, o que permite um ciclo virtuoso de crescimento.

Para quem já investia nessas empresas, o retorno do investimento pode vir a partir de uma oportunidade de saída: um IPO, um SPAC ou a própria compra da participação por outros sócios.

Para os investidores que decidem continuar no negócio, o valuation dessas empresas aumenta e significa uma promessa de retorno maior no futuro.

Valuations de companhias late stage estão sentindo o ajuste

Como a queda no mercado de bolsa vem afetando o mercado de Venture Capital em 2022? Se olharmos os dados agora do primeiro trimestre de 2022 nos EUA, vemos que o impacto foi muito pequeno ou inexistente na grande maioria dos casos.

No caso das companhias early stage, as principais companhias tiveram aumento de valuation, enquanto a mediana de valuations subiu 13%.

Já no mid- stage, vemos que houve uma queda na mediana de valuations de 6,5%, que é baixo perto do que aconteceu no mercado público. O top quartil das empresas se manteve no mesmo valuation.

Olhando para o late stage é que vemos um ajuste acontecendo. A mediana de valuations subiu: empresas nesse segmento tiveram um aumento de valuation de 10%.

Mas as companhias que estão no top quartil tiveram uma queda significativa no valuation quando comparamos com os números que estavam em vigor no quarto trimestre de 2021.

O número de companhias que fazem parte desse top quartil é um número pequeno e envolve companhias que estão avaliada em acima de US$ 2,6 bilhões.

Valuation de Companhias Late StageTop quartil das companhias late stage está sentindo a queda no mercado tech.
Fonte: State of Venture Report/CB Insights

Invista em Venture Capital com a G2D

A G2D Investments é uma empresa listada na bolsa de valores que dá acesso a companhias privadas de alto crescimento. Em nosso portfólio estão empresas como Mercado Bitcoin, NotCo, Moss Earth, entre outros grandes nomes.

Por meio de nosso código de negociação na B3, o G2DI33, é possível investir em um portfólio diversificado de companhias no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa, que estão trabalhando com tecnologias de ponta e novas tendências de consumo. Conheça nosso portfólio.

#

Conteúdos sobre tecnologia, startups e investimentos em Venture Capital e ativos alternativos.