RI: conheça nosso portfólio e resultados financeiros

5 min de leitura 23 maio. 2022

O que é Wealth Gap e como ele afeta os investimentos?

# G2D Investments
O que é Wealth Gap e como ele afeta os investimentos?

O Wealth Gap é um fenômeno social que tem várias nuances. Falamos em Wealth Gap de gênero para nos referir à diferença entre homens e mulheres. Também há essa separação em relação à origem social, etnia e diferença de idade.

Apesar dos avanços tecnológicos em nossa sociedade, a desigualdade de renda permanece. Seus efeitos influenciam a forma como as pessoas escolhem seus empregos, cuidam de suas famílias e até a maneira como guardam dinheiro e escolhem tipos de investimento.

E esse é um desafio global. No Brasil, 10% da população detêm quase 60% da renda nacional, segundo o relatório Desigualdade Mundial. Já nos Estados Unidos, por exemplo, os 10% ficam com 45% da riqueza. Nos relatórios que apontam as pessoas mais ricas do mundo, a maior parte dos membros dessas listas é formada por homens brancos. Com isso em mente, qual é a consequência dessa disparidade? Vamos entender a partir de agora.

O que é wealth gap?

Wealth gap é um termo em inglês cuja tradução literal é diferença de riqueza. Seu uso é empregado para tratar da disparidade de patrimônio entre diversos grupos da população.

No entanto, o wealth gap não é exatamente um sinônimo para desigualdade de renda, apesar de ambos os conceitos estarem conectados. A desigualdade de renda trata mais da diferença de salários ou rendimentos recebidos nos diversos segmentos de uma população.

A diferença de riqueza, por outro lado, é a disparidade de patrimônio entre grupos de pessoas. Esses grupos podem ser classificados por:

  • gênero, o chamado gender wealth gap;
  • idade, também conhecido como generational wealth gap;
  • etnia, ou racial wealth gap;
  • origem social, ou social wealth gap.

A origem do Wealth Gap está na desigualdade de renda, considerando que para formar riqueza é necessário ter rendimentos provenientes de algum lugar.

A diferença salarial entre homens e mulheres, por exemplo, é um fator que origina o wealth gap de gênero. Além da remuneração em si, ter de se afastar da carreira para cuidar dos filhos ou parentes que demandam atenção especial também pesa mais para o gênero feminino.

Nesse sentido, políticas públicas e trabalhistas são essenciais para ajudar a reduzir as diferenças entre homens e mulheres. Uma mudança de mentalidade mais profunda no campo social também poderia ajudar, estabelencendo um equilíbrio maior entre os papéis sociais de homens e mulheres.

Em relação à idade, as pessoas costumam gerar menos riqueza no início de suas vidas profissionais. Isso acaba gerando o gap de riqueza entre pessoas mais jovens e mais velhas, quando elas têm experiências profissionais que as permitem ganhar mais dinheiro. Porém, se não houver recurso e direcionamento correto para uma pessoa mais jovem, dificilmente será possível superar essa diferença com o passar do tempo.

Quanto a etnias e origens sociais, os movimentos históricos favoreceram mais o acúmulo de riquezas entre pessoas brancas. Passados de geração em geração, o patrimônio e o conhecimento sobre como guardar dinheiro favorecem essa diferença entre etnias e pessoas com origens sociais distintas.

Como o wealth gap afeta os investimentos?

A forma como as pessoas ganham dinheiro e as necessidades que elas precisam suprir afetam também a maneira como elas guardam e investem seus recursos. Afinal, quem ganha pouco dinheiro e tem muitas necessidades para suprir terá menos chances de guardar algo para o futuro.

A participação das mulheres em investimentos é um reflexo desse fenômeno. No Brasil e no mundo, elas representam entre 20% e 30% das pessoas que investem na bolsa de valores e em títulos públicos.

No mercado de criptomoedas, os dados são discrepantes, mas estima-se que a proporção de mulheres fique entre 15% e 55% dependendo do país. As informações são do Relatório Global Mulheres e Criptomoedas, feito por pesquisadoras brasileiras em parceria com diversas organizações internacionais.

Mas esse cenário está mudando aos poucos. Segundo o Boston Consulting Group, a presença feminina no mercado de ações vem aumentando. A acumulação de capital ocorre pelas seguintes razões: por um lado, há maior participação das mulheres na força de trabalho; por outro, um avanço na educação financeira desse grupo. Além disso, as plataformas de investimento online tornaram o mercado de investimentos mais acessível.

Contudo, as motivações na hora de investir são distintas entre os gêneros. Enquanto o público feminino busca vincular as aplicações financeiras a propósitos e valores, os homens podem focar mais no fator de rentabilidade.

Por que é importante ter mais pessoas investindo?

O mercado de investimentos é crucial para a geração de riqueza. E isso não só para as pessoas, que podem multiplicar seu patrimônio por meio de aplicações financeiros. Ele também é uma forma de financiar atividades de empresas, promovendo inovação e fazendo a economia crescer.

A G2D Investments (G2DI33), por exemplo, é uma plataforma que busca democratizar o acesso ao Venture Capital. O nosso foco é ajudar empreendedores a evoluírem junto com seus negócios, de um lado, e oferecer a forma mais simples para as pessoas investirem nesses negócios. Antes da G2D, essa chance só estava disponível para quem tinha muito dinheiro.

Agora que você entende melhor sobre wealth gap e seu impacto na sociedade, que tal entender mais sobre quem é a G2D e como podemos te ajudar a investir melhor? Acesse nosso site e saiba mais detalhes sobre a nossa maneira de investir.

#

Conteúdos sobre tecnologia, startups e investimentos em Venture Capital e ativos alternativos.